Nutrir para a Vida




Qual o gosto da Vida? Doce como brigadeiro? Salgado como sopa no

inverno? Amargo como a cerveja com os amigos? Picante como geleia

de pimenta? É possível que a Vida tivesse o sabor de cada um desses

momentos, mas é improvável: Esse não é o gosto da Vida, esse é o gosto

dos momentos da Vida. Da mesma forma, o sabor da comida não é o

sabor do tempero.


É difícil sentir o sabor dos alimentos quando eles estão nadando

em temperos cada vez mais fortes. Com tanto sal e açúcar não é de se

espantar que os sabores mais delicados se ocultem e o paladar se sinta

embotado. Com tanto excesso de tudo, não é de se espantar que ninguém

perceba a delicadeza em nada.


As experiências têm sabor. Talvez não tão intensos quanto os

excessos de sal e açúcar, quanto a velocidade das comidas rápidas,

desenhadas para entregar em minutos a satisfação imediata. Mas as

experiências têm sabor. O aroma da comida cozinhada lentamente muda

a experiência da refeição, tal qual o dia-a-dia que constrói a vida.



Talvez tentemos temperar nossas vidas com excessos para impor

um sabor pré-fabricado, como um sachê de tempero pronto. As mesmas

viagens, os mesmos filmes, as mesmas comidas. Os mesmos corpos, os

mesmos cabelos, as mesmas vivências. Todas as refeições ganham o

mesmo gosto, imposto, todas as vidas recebem mesmo sabor, padrão.

Se retirássemos os excessos, qual sabor ficaria? Se permitíssemos sentir

os alimentos com mais calma, como seria o nosso paladar? Se

reinássemos para identificar as nuances dos alimentos, qual

sabor sobressairia?


O dia-a-dia não deve ser insosso, e a alegria não deve ser

euforia. Acordar e dormir consciente do sabor da própria vida, presente, em

cada refeição, em cada sabor, em cada resposta que nosso corpo dá às

experiências vividas é estar presente em si mesmo. Euforia é estar fora de si,

nublado da percepção por um exagero que a tudo suprime, como a música alta

emudece o canto dos pássaros.

Viver com alegria é perceber com delicadeza. As coisas mais

lindas são declaradas em voz baixa.


SIGA NAS REDES SOCIAIS: @nutrir.nathaliabatistim